Guarda a minha alma, e livra-me; não seja eu envergonhado, porque em Ti me refúgio. – Salmos 25:20

O casamento tem uma maneira de alterar nossa visão. Criamos expectativas de que o nosso cônjuge preencherá nossas esperanças e nos fará feliz. Mas esse é um pedido impossível para nosso cônjuge atender. Expectativas irreais geram decepções. Quanto maior forem suas expectativas, mais seu cônjuge irá falhar com você e lhe causar frustração.
Se a esposa sempre espera que seu esposo seja pontual, esteja sempre limpo e bem arrumado e entenda todas as suas necessidades, é bem provável que ela passe boa parte da vida de casada sofrendo constantes decepções. Mas se ela for realista e entender que ele é humano, esquecido e às vezes desatento, então ela ficará mais satisfeita quando ele for responsável, amoroso e gentil.
O divórcio é quase inevitável quando as pessoas não permitem que seu cônjuge seja humano. Então, é preciso que haja uma transição em seu pensamento. Você deve escolher viver por encorajamento ao invés de viver por expectativas. O jeito de ser do seu cônjuge nos últimos dez anos é o jeito que ele será no futuro, exceto por seu encorajamento amoroso e pela intervenção de Deus.
O amor coloca o foco na responsabilidade pessoal e na sua melhora em lugar de exigir mais dos outros.
Jesus descreveu isso detalhadamente quando falou sobre a pessoa que viu o “argueiro” no olho do seu irmão mas não notou a “trave” em seu próprio olho.
“Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu: Hipócrita. Tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro do olho do teu irmão”. (Mateus 7:4-5).
Seu cônjuge se sente como se convivesse com um inspetor de argueiro? Ele está sempre tenso, temeroso de não atender suas expectativas? Ele diria que passa mais tempo sentindo sua reprovação do que sua aceitação?
Quem sabe você responderá dizendo que o problema não é com você, mas com ele. Se ele realmente se decepciona em várias outras áreas, por que a culpa é sua? Até onde você sabe, é necessário que os dois façam tudo o que podem para o casamento funcionar bem. Se o seu cônjuge não quer que você seja’ tão crítico, ele precisa entender que as questões que você levanta são legítimas. Você não está dizendo que é perfeito, de forma alguma, mas que é capaz de dizer o que pensa. Certo?
O problema com este tipo de atitude é que poucas pessoas são capazes de responder à critica com total objetividade. Quando está claro que alguém está infeliz com você – seja por confrontação direta ou por silêncio – é difícil não ficar pessoalmente magoado.
Especialmente no casamento.
Apesar de tudo, diferente de qualquer outra amizade, o relacionamento com seu cônjuge começa com os dois fazendo de tudo para agradar um ao outro. Quando vocês namoravam, ele era completamente encantado pela sua personalidade. Você quase não cometia erros. O relacionamento de vocês era bem mais fácil. E mesmo que você não esperasse que fosse assim por toda vida, certamente você não o via tão pecador e tão irado com você. Você nunca esperou que este homem ou mulher que prometeu lhe amar, poderia chegar ao ponto de parecer que não lhe ama.
Então, quando esse contraste absoluto se torna realidade de vida, sua reação natural é resisti-lo, Durante os primeiros dias de casamento, você deve ter sido mais inclinado a ouvir e fazer mudanças sutis. Mas com o passar dos anos, a desaprovação do seu cônjuge só tende a lhe deixar defensivo. Em lugar de fazer você querer corrigir as coisas, ela lhe fere cada vez mais profundamente.
O amor é sábio demais para agir assim. Em lugar de colocar seu cônjuge em uma posição de rebeldia, o amor lhe ensina a dar espaço para ele ser ele mesmo. Mesmo se você for do tipo que estabelece padrões elevados para si, o amor lhe convida a não manter seus padrões elevados em relação à atitude do seu, cônjuge. Você precisa entender que o casamento é um relacionamento para ser aproveitado e apreciado ao longo do caminho. É a única amizade criada pelo próprio Deus onde duas pessoas imperfeitas vivem juntas, mas tratam com a imperfeição encorajando um ao outro, não desencorajando.
A Bíblia diz, “Fortalecei as mãos fracas, e firmai os joelhos trementes” (Isaías 35:3). “Pelo que exortai-vos uns aos outros e dedicai-vos uns aos outros, ( … ) consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais longânimos para com todos” (1 Tessalonicenses 5:11,14).
Você não deseja que a vida de casado seja o lugar onde você desfrute a livre expressão de ser quem você é, crescendo em um ambiente seguro que lhe encoraje, mesmo quando você falha? Seu cônjuge também – e o amor dá a ele esse privilégio. Se a sua esposa ou o seu marido lhe disse mais de uma vez que você o(a) fez sentir abatido(a) e derrotado(a), você precisa levar estas palavras em consideração. Tenha o compromisso de deixar as expectativas irreais e se tornar o maior encorajador do seu cônjuge, diariamente. E a pessoa que Deus quer que ele seja começará a surgir com nova confiança e amor por você.

DESAFIO DE HOJE:

Elimine do seu lar o veneno das expectativas erradas. Pense em uma área onde seu cônjuge tenha dito que você está esperando muito, e diga a ele que você está arrependido por ter exigido muito dele. Prometa que você procurará entendê-lo, e o assegure de seu amor incondicional.
O que você descobre a seu respeito quando coloca em seu cônjuge altas expectativas que ele não está internamente motivado a atingir? Quais são as melhores maneiras de lidar com essas divergências?

Consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras.
(Hebreus 10:24)

Adicione um comentário abaixo de como foi o 27º dia 

..........Próximo
Anterior..........