Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres,   como a seus próprios corpos – Efésios 5:28

Considere essas duas situações.

Um homem tem sérios problemas com seu carro velho, então ele o leva ao mecânico.

Depois que uma avaliação é feita, ele descobre que o carro precisa de uma revisão geral, o  que custaria boa parte do seu orçamento. Por causa do alto custo do reparo, ele decide abrir  mão do carro e gastar suas economias em um veículo novo. Parece lógico certo?

Outro homem, um engenheiro, acidentalmente comprime sua mão em um equipamento. Ele  corre para o hospital, tira o raio-x, descobrindo que existem vários ossos quebrados.   Apesar de frustrado e com muitas dores, ele utiliza suas finanças de bom grado para ter a mão  medicada e restaurada. Então, o engenheiro cuidadosamente trata dela de forma que, nos meses  seguintes, seja restabelecida. Este caso, provavelmente, também lhe parece lógico.

O problema com a nossa cultura é que o casamento é tratado mais como o primeiro caso.

Quando o seu relacionamento passa por dificuldade, você é encorajado a trocar a sua esposa por  um “modelo mais novo”. Mas aqueles que têm essa visão não entendem o laço significante entre  um esposo e uma esposa. A verdade é: o casamento é mais como o segundo caso. Somos parte  um do outro. Você nunca arrancaria a sua mão se ela estivesse ferida, mas pagaria o que pudesse  pelo melhor tratamento médico possível. Isso acontece porque a sua mão é muito valiosa para  você. Ela é parte de quem você é assim como seu cônjuge. O casamento é um lindo mistério  criado por Deus, juntar duas vidas como sendo uma. Isso não só acontece fisicamente, mas  espiritualmente e emocionalmente. Você começa compartilhando a mesma casa, a mesma  cama, o mesmo sobrenome. Sua certidão individual se tornou uma. Quando o seu cônjuge  sofre uma tragédia, ambos sentem a dor. Quando você alcança sucesso no trabalho, ambos  se alegram. Mas em algum ponto ao longo do caminho, você é desapontado e a realidade de  que se casou com uma pessoa imperfeita se manifesta.

Isso, contudo, não muda o fato do seu cônjuge ainda ser parte de você. Efésios 5:28 diz,

“Assim devem os maridos amar a suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos.  Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo”.

Esse versículo é direcionado aos maridos, mas note como cada membro é visto. Ambos  são considerados mesma carne. Ele deve ser tratado com a mesma educação e com o mesmo   cuidado com que você se trata. Quando demonstramos amor ao nosso cônjuge, estamos  demonstrando amor a nós mesmos.

Mas existe outro lado dessa moeda. Quando você maltrata seu cônjuge, também maltrata  a si mesmo. Pense nisso. A vida de vocês está agora trançada uma à outra. O seu cônjuge   não pode sentir alegria ou dor, receber bênção ou maldição, sem que você também seja  afetado. Então, quando você ataca o seu cônjuge é como atacar o seu próprio corpo.

É hora de deixar o amor dominar seu pensamento. É hora de entender que seu cônjuge é  tão parte de você quanto sua mão, seus olhos ou seu coração. Ela também precisa ser amada   e cuidada. E se existe algo causando dor e frustração, então você deve tratar disso com o  mesmo amor e ternura como trataria uma ferida corporal. Se ele de alguma forma está  machucado, você deve se ver como um instrumento que ajuda a levar cura   para sua vida.   À luz disso, pense em como você trata o corpo físico do seu cônjuge. Você cuida dele   como cuida do seu? Você se dirige a ele com respeito e ternura? Você sente prazer em  quem ele é? Ou faz se sentir tolo e envergonhado? Assim como você aprecia os seus  próprios olhos, mãos e pés, você deve apreciar o seu cônjuge como quem aprecia um  presente muito caro.

Não permita que a cultura ao seu redor determine o valor do casamento. Compará-lo  a algo que pode ser descartado ou substituído é desonrar o propósito de Deus para ele. Seria  como amputar um membro do seu corpo. Ao invés disso, o casamento deve ser o retrato do  amor entre duas pessoas imperfeitas que escolheram amar uma a outra apesar de tudo.

Sempre que o marido olha nos olhos da esposa, ele deve se lembrar de que “aquele que  ama a sua esposa ama a si mesmo”. E a  esposa deve lembrar-se de que quando ela o ama,  ela também está amando e honrando a ela mesma.

Quando você olha para o seu cônjuge, está olhando para I fina parte de você. Então,  trate bem a sua esposa. Fale bem I. Dele. Nutra e cuide do amor da sua vida.

≈ DESAFIO DE HOJE 

Quais as necessidades da sua esposa ou do seu marido hoje podem ser supridas por você hoje?  Você pode adiar uma viagem de negócios? Fazer uma massagem nas costas ou no pé dela)?  Tem algum trabalho doméstico onde possa ajudar? Escolha um gesto que diga, “eu cuido de  você” e faça isso com um sorriso.

 

Adicione um comentário abaixo de como foi o 11º dia 

..........Próximo
Anterior..........