O Brasil precisa de você, mãe dedicada, que tem feito tantas boas escolhas na vida de seus filhos, proporcionando-lhes o melhor alimento, a melhor escola, os mais adequados conteúdos educativos e seu mais sincero amor.

Precisa de você, pai atencioso, que tem se esmerado em estar presente no lar, que tem sido bom exemplo, que tem escolhido as palavras, as histórias e os melhores sentimentos para cultivar em família.

De você, jovem idealista, que escolheu enxergar na palavra crise oportunidades de mudança; que se envolve na comunidade que é sua, que se vê como agente transformador e que acredita no outro e em si mesmo.

Precisa de você, cidadão que ama sua pátria e acompanha atento seus passos, por vezes cambaleantes. Você que vez ou outra desanima, mas logo volta a crer com alegria e disposição, sempre dando a volta por cima.

O Brasil precisa de você, homem e mulher que já viveu de tudo nesta vida, poço de experiências valiosas; você das décadas e mais décadas de trabalho honesto e que tem tanto a oferecer aos que estão chegando agora.

Sim, o Brasil precisa de você para arrumar a casa.

Uma pátria é também um lar. Assim, precisamos muito do esforço e dedicação de todos neste momento, para que esta casa de todos os que aqui habitam, esta nação, esteja bem.

Não podemos transferir para outros o trabalho que é nosso, de todos nós. O trabalho de preservar a harmonia, a dignidade e a paz.

Fala-se muito em ecologia, desta relação harmônica entre os seres e o meio ambiente.

Ecologia se inicia na limpeza e educação dos pensamentos de um povo, pois a ideia de meio ambiente vai muito além do que apenas nossos olhos limitados podem enxergar.

Se apenas falamos mal de nosso país, por exemplo, se insistimos em dizer que nada dá certo, que ninguém presta, estamos como que atirando barris de óleo viscoso nas águas límpidas das mais belas praias que possuímos.

Palavras negativas não constroem, não resolvem. Apenas pioram.

Pensamentos pessimistas, cruéis, acusadores, atraem outros similares, de Espíritos infelizes que ainda se comprazem na desavença, no ódio, e assim, temos um ciclo vicioso, em que uns envenenam os outros.

Por isso o importante alerta: cuidado com o que lemos, cuidado com o que divulgamos, cuidado com os assuntos que dominam nossas conversações corriqueiras.

Tudo precisa passar pelo crivo do bom senso, do razoável, do construtivo. Só assim a calúnia, as agressões à ética, a injustiça podem ganhar um basta definitivo.

Fonte: Laguna Informa