“Não ganhei nada no Dia dos Namorados. Nem um beijo ele me deu. Estou muito triste, não vejo amor nesse relacionamento.”

“Eu sempre ligo do trabalho para minha esposa para ver como ela está, dizer que estou com saudades e tal. Fui viajar e decidi não ligar para ver se ela me ligava. Passaram dois dias e ela não me ligou! Parece que só eu me preocupo com ela.”

Você já interpretou algum evento ou atitude de seu parceiro negativamente? Se você é como eu, tenho certeza que sim. Sua esposa pode estar focada em um projeto de trabalho e parece que tudo o que ela fala e pensa é sobre esse projeto. Você se sente deixado de lado. Seu marido não faz nenhuma surpresa para você no aniversário de casamento e você acha que ele é um preguiçoso, acomodado, um príncipe que virou sapo.

O que realmente está acontecendo é que estamos interpretando um evento, não necessariamente vendo o seu real significado. E quando interpretamos, recorremos aos nossos preconceitos, ideias que já temos formadas de antemão em nossas mentes antes mesmo do evento acontecer. Se eu tenho a ideia ou um sentimento de carência, então interpretarei o fato de minha esposa estar focada em seu projeto como se ela se importasse mais com o trabalho do que comigo. Imagine, ciúme do projeto! (Renato Cardoso)

Se eu, porém, resolvo meu preconceito, venço meus pensamentos negativos que não têm fundamento, e olho a situação com bons olhos, tudo muda. De repente, em vez de ter ciúme do projeto, ficarei feliz pela realização dela. Em vez de achar que o marido é um sapo, a esposa verá que ele é apenas romanticamente deficiente — e o ajudará tomando ela mesma a iniciativa de fazer uma surpresa para ele.

Lembre-se: você não pode controlar as pessoas, mas pode controlar como interpreta o que elas fazem e como você reage.

 

..........Próximo
Anterior..........