chia-blog-viver-bem-620

 

Semente de chia (Salvia hispanica) é um alimento, de origem mexicana, que por muitos anos foi utilizada como alimento básico nas Américas (Sudoeste e América Central) por índios, soldados astecas e por nativos.
É uma semente que possui composição nutricional diferenciada entre as demais sementes. Possui propriedades benéficas à saúde por ser rica em antioxidantes (ácido caféico e clorogênico) que auxiliam na redução dos radicais livres prevenindo o envelhecimento celular, tem ação laxativa e emoliente, melhorando assim o funcionamento intestinal, promove saciedade, é expectorante diaforético (promove transpiração), entre outras.
Principal composição de nutrientes da CHIA:
– 1/3 de proteínas (principal aminoácido lisina);
– 1/3 de óleos (possuir cerca de 60 % de ômega 3);
– 1/3 de fibra solúvel;
– Baixo teor de carboidratos;
– Rica em minerais como: cálcio, fósforo, magnésio, potássio, ferro, zinco, manganês;
– Vitaminas do complexo B.

 

BENEFÍCIOS À SAÚDE

 

Emagrecimento
A semente de chia ajuda no emagrecimento uma vez que por ser rica em fibras e gorduras boas oferece maior saciedade, pois as fibras e as gorduras são mais lentas de serem digeridas, assim, a sensação de fome também fica sendo tardia. Também auxilia no processo de perda de peso porque combate a inflamação. O tecido adiposo é um tecido que produz substâncias inflamatórias e que, por assim ser, desequilibra a sinalização nervosa da sensação de apetite. O ômega 3 presente na chia ajuda a combater os prejuízos deste processo inflamatório.

 

Combate o colesterol e a hipertensão
Por ser uma semente rica em fibras e em ômega 3 principalmente, tem o poder e diminui os níveis de colesterol LDL na circulação, pois estes dois nutrientes conseguem diminuir as placas de gorduras nas artérias favorecendo a saúde cardiovascular. A porção de semente de chia tem nada menos que 400% da nossa necessidade diária de ômega-3.Além disso, o ômega-3 ajuda na regulação da pressão dos vasos sanguíneos uma vez que aumenta a fluidez sanguínea, evitando assim, o aumento da pressão arterial.

 

Diabetes
A chia pode estar sem medo na mesa dos diabéticos. Isto porque ela está na lista de alimentos com baixo índice glicêmico — ou seja, não aumenta bruscamente os níveis de glicose no sangue —, a chia é indicada para quem tem o problema. Ameniza a resistência à insulina, ou seja, facilita o aproveitamento da glicose pelas células, e evita que o açúcar fique sobrando na circulação.

 

Deficiência de cálcio
Para quem necessita de um aporte maior deste mineral, 100 gramas da semente de chia (equivalente a sete colheres de sopa) tem 6x mais cálcio que meio copo de leite integral – que tem em média 246 mg do nutriente. O cálcio presente na chia ajuda na formação da massa óssea, evitando a osteoporose. Uma porção de semente de chia (25 gramas) tem cerca de 21% das nossas necessidade diárias de cálcio.

 

Deficiência de ferro (anemia, fadiga)
De acordo com os estudos, 100 gramas da semente de chia oferecem três vezes mais ferro que a mesma quantidade de espinafre, por exemplo. Para ilustrar melhor: uma porção da semente tem em média 68% das nossas necessidades diárias em ferro.
Energia
A semente de chia também é rica em vitaminas do complexo B. Possui em sua composição a niacina, a tiamina e a riboflavina. Elas são fundamentais para o regular funcionamento do sistema nervoso, além de auxiliar no metabolismo das nossas células, fazendo com que nosso organismo todo funcione melhor. A porção da semente tem 13% das necessidades diárias de niacina, 4.6% das de riboflavina e 30% das de tiamina.

 

Rica em proteínas
Ótima para quem faz atividade física e precisa de uma boa fonte de proteínas para a reconstrução muscular, 100 gramas da semente de chia possuem em média 16g de proteína em sua composição. Enquanto na mesma quantidade de arroz integral cru há 8 gramas de proteína. Outra vantagem para os músculos é que a chia retém liquídos por ser fonte de fibras, assim, ajuda a manter as células hidratadas. A vantagem da quantidade de proteína é que fornece mais energia para as células nervosas, uma porção da semente de chia tem 8.6% das nossas necessidades diárias nesse nutriente.

 

Deficiência de vitamina A (problemas visuais)
A porção diária da semente de chia possui cerca de 20% das nossas necessidades dessa vitamina. Ela melhora sistema imunológico e protege a pele e os olhos contra o processo de envelhecimento.

 

Rica em potássio
O potássio é muito importante na ação muscular, sendo essencial para quem pratica ou não exercícios físicos todos os dias. Em 100 gramas da semente de chia há duas vezes mais potássio que duas bananas grandes. Sendo assim, consumir a chia junto com a banana garante boas doses de potássio.
Relaxamento muscular, cognição
Essencial para o pleno funcionamento do nosso cérebro e ligações cognitivas, o magnésio também está muito presente na semente de chia. Comparando com 100 gramas de brócolis, a semente de chia tem 15 vezes mais magnésio. A porção da semente de chia possui 27.9% das nossas necessidades diárias desse nutriente.

 

Fortalece sistema imune, ajuda na formação de colágeno
O zinco fortalece nossa imunidade, paladar, olfato e visão. Também promove a liberação do hormônio do crescimento e ajuda na formação de colágeno. Na porção de chia você encontra 12.3% das necessidades diárias de zinco.

 

Distúrbios cerebrais com Transtorno de Déficit de Atenção (TDHA) e Mal de Alzheimer
As gorduras presentes na semente de chia como o ômega 3 e 6 ajudam nas sinapses e na saúde do funcionamento do sistema nervoso central. Assim, nas doenças neurológicas que envolvem envelhecimento e/ou morte de neurônios, estes nutrientes são essenciais uma vez que ajudam na prevenção deste processo por comporem as membranas destes células.

 

Problemas intestinais
Parte do sucesso da chia está nas fibras, que ajudam a regular o intestino, evitando ou tratando a prisão de ventre, por exemplo. Enquanto cada 100g de aveia possuem 9,1g de fibras, na mesma quantidade de chia, há 13,6g de fibras. As fibras em geral ajudam a fazer uma “limpeza” no intestino, eliminando as toxinas que se acumulam nas paredes e que, em excesso, podem causar doenças inclusive como o câncer intestinal.
Onde e como utilizar a Semente de Chia

atualidade ii

A semente de chia não possui odor nem sabor e de fácil mastigação, podendo ser utilizada em receitas de pães, farofas, bolos, patês, cookies, iogurtes, leite, cereais, sobremesas até mesmo adicionada à refeição. Já na forma de gel pode ser ingerido isolado ou acrescentado em sucos, vitaminas, iogurtes ou frutas.
Com tanta variedade de sementes, as comparações são inevitáveis. Semente de chia, linhaça, gergelim, girassol. A semente de linhaça também é uma boa fonte de ômega 3 e 6, antioxidantes, vitaminas e minerais (assemelhando-se em alguns nutrientes quando comparados com a chia) possui ação antiinflamatória, auxilia na prevenção de câncer de cólon e próstata e de doenças coronarianas, no entanto apresenta alguns fatores anti nutricionais, não sendo indicada por exemplo para pessoas que apresentam hipotireoidismo, o que não ocorre com a chia. Como também a chia não apresenta substâncias como as lignanas que podem auxiliar na modulação hormonal.
Sendo assim, para melhor elucidarmos, segue um quadro comparativo entre essas sementes, evidenciando seus principais nutrientes em 100g:

 

tabela ii

 

Lembrando que a semente de chia assim como todos os alimentos saudáveis devem ser incluídos no nosso dia a dia, de forma moderada, dentro de um contexto saudável e com alimentação equilibrada e hábitos saudáveis, sempre com orientações de um profissional da saúde.

 

Saiba como cada um pode lhe ajudar.
ÔMEGA 3: Previne doenças do coração e é um poderoso anti-inflamatório. Além disso, reduz o risco de depressão.
ANTIOXIDANTES: Combate o envelhecimento precoce.
PROTEÍNAS: Ideal para o fortalecimento dos músculos.
VITAMINAS: auxilia no desenvolvimento e melhoramento da visão.
CÁLCIO: ajuda na formação óssea, evitando a osteoporose.

..........Próximo
Anterior..........